sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Amor tormenta

Não saberei descrever amor-tormenta
na alma desta ansiedade
com que o sonho se alimenta
com que mina esta vontade
de me ver solta e isenta
dos braços desta saudade.

Amor-fogo, amor-tormenta
amor-fado que me deu
o que o meu peito lamenta
e minha alma agradeceu.

Felipa Monteverde

3 comentários:

Lu disse...

Amor-fogo, amor tormenta
amor que o fado teceu
teia sinistra e cinzenta
que em minh´alma apareceu.

Nilson Barcelli disse...

Não será sempre o amor uma tormenta?
Belo poema, gostei.
Abraço grande.

M.Pequeno Príncipe disse...

Olá Felipa, linda poesia! Você me permite usar no meu blog de amor!!
bjs
Amara avó de Pedro
http://amaramourige.blogspot.com.br/