quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Na rua do faz de conta
















Na rua do faz-de-conta
Fiz de conta esta cantiga
Que nada de novo conta
E nada tem que se diga
Mas se alguém lhe faz a conta
Que conte e cante e que siga
Que a rua do faz-de-conta
Faz-de-conta quanto diga.

Felipa Monteverde

6 comentários:

✿ chica disse...

Lindo faz de conta,Felipa!!!Adorei!beijos,ótimo domingo,chica

Miguel Afonso disse...

Na rua do faz de conta
quem é que conta o que diz?
Essa rua só apronta
de uma ponta a outra ponta
com um sorriso de giz!

Kiss

Amapola disse...

Boa noite, Felipa.

Lindo!!
Há tanta coisa nesse mundo, que acho que é "Faz de conta".

Felicidades!

Beijos.
Maria Auxiliadora (Amapola)

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Agora, no momento presente, faço de contra que ainda tenho quem não tenho mais...
Bjm de paz e ótimo fim de semana

Utilia Ferrão disse...

Não há faz de conta
quando não faz
há sempre o sub consciente que conta
Obrigada
Felipa
e um Santo Natal amiguinha
Utilia Ferrão

Ailime disse...

Olá Felipa,
Um poema que só li neste momento; um poema em que o tema faz de conta me leva a interpelações e reflexão.
Muito bom.
Continuação de excelentes momentos de poesia em 2012, como neste caso concreto.
Bjs,
Ailime